Viu Review - Tendências - Afinal, o que querem os jovens?
Receba nossas novidades em primeira mão!
Quarta, 06 Maio 2020 13:46

Tendências - Afinal, o que querem os jovens?

Escrito por
Rate this item
(0 votes)

Os jovens desejam ser surpreendidos, enxergarem seus dramas e suas histórias na TV e consumirem conteúdos que abordem questões sérias e urgentes, como meio-ambiente. Essas conclusões foram feitas pela empresa de pesquisa de conteúdo e insights "Glance" em dez países no ano passado. Mas será que a indústria do audiovisual está acompanhando e atendendo a essa demanda?

A partir deste estudo, foram formuladas três tendências macro direcionadas para produtores de entretenimento focados neste público: 1) autenticidade é valor chave; 2) programas que são eletrizantes, ágeis e provocam suspense e tensão agradam mais; 3) causas são importantes e devem ser exploradas, principalmente àquelas voltadas ao meio-ambiente. A análise também menciona os gêneros comédia e entretenimento como bem sucedidos entre os jovens.

Então, que tal dar uma olhada naquilo que o mercado anda produzindo para esse público-alvo? As séries abaixo estão separadas por plataformas que perceberam a demanda e vem trabalhando essa tendência dentro da sua estratégia de aquisição (e manutenção) de usuários de um nicho tão importante, confira:

1. Netflix

Eu Nunca... (Never Have I Ever)

Primeiro projeto de Mindy Kaling com a Netflix, “Eu Nunca...” é uma série sobre a adolescente americana com ascendência indiana, Devi. Criada na Califórnia, a jovem precisa lidar com um ano trágico do ensino médio, pressões internas e externas sobre aceitação e o relacionamento curioso entre família e religião e seus paradigmas.

Com uma história que parece autobiográfica, Mindy Kaling, mais famosa pelo papel de Kelly Kappor na série “The Office” conseguiu reunir um elenco etnicamente indiano. Destaque para a protagonista Maitreyi Ramakrishnan, considerada a grande surpresa da produção. Autora, atriz e comediante, Mindy divide o projeto com a produtora executiva Lang Fisher.

I Am Not Okay With This

Dos mesmos produtores de “Stranger Things”, a série “I Am Not Okay With This” é baseada na história em quadrinhos homônima de Charles Forsman e apresenta Sydney Novak (Sophia Lillis) como a personagem central. Em meio ao mundo hostil do ensino médio, dramas familiares e um amor não correspondido pela sua melhor amiga, Syd precisa aprender a conviver com seus crescentes superpoderes.  

Ricos de Amor

Apesar da hegemonia americana neste gênero, a Netflix conseguiu reunir um elenco famoso para uma comédia romântica brasileira. Danilo Mesquita interpreta Teto, filho do poderoso Teodoro (Ernani Moraes), empresário conhecido como “O Rei do Tomate”. Com tudo ao seu alcance, Teto é um playboy de carteirinha, que terá sua vida transformada com a presença da estudante de medicina Paula (Giovanna Lancellotti). Para conquistar a moça, Teto finge não ser rico e acaba sofrendo ainda mais para manter a farsa de pé.

2.Freeform

Everything’s Gonna Be Okay

Josh Thomas (Nicholas), Kayla Cromer (Matilda) e Maeve Press (Genevieve)

Nicholas (Josh Thomas), um australiano de 25 anos, está de passagem por Los Angeles para visitar seu pai americano e duas meias-irmãs adolescentes. Durante a estada do rapaz na cidade, ele descobre que o pai está com uma doença terminal e quer que o filho se transforme no guardião de Genevieve (Maeve Press) e Matilda (Kayla Cromer). Típico narcisista, Nicholas terá uma longa jornada para criar laços verdadeiros com suas irmãs já que Matilda possui traços do espectro autista e Genevieve é uma garota temperamental e mal-humorada.  

Motherland: Fort Salem

Bruxas no exército americano? É isso mesmo! Na série “Motherland: Fort Salem”, três jovens feiticeiras se alistam nas Forças Armadas americanas. Lá, elas treinam magia e suas poderosas cordas vocais, capazes de provocar grandes estragos. O exército de bruxas trava uma guerra contra uma organização terrorista chamada “The Spree”. A série se passa em um mundo dominado por mulheres, no qual os EUA terminaram a perseguição às bruxas há 300 anos durante os Julgamentos das Bruxas de Salem, após um acordo conhecido como Acordo de Salem.

The Thing About Harry

Jake Borelli (Sam) e Niko Terho (Harry)

Inimigos do colégio, Harry (Niko Terho) e Sam (Jake Borelli) são forçados a compartilhar uma viagem a sua cidade natal para uma festa. As coisas começam a tomar um rumo diferente quando Sam descobre que Harry assumiu ser pansexual. Os dois passam a cogitar que eles podem se tornarem mais do que amigos. O telefilme foi exibido no Dia dos Namorados (14/02) nos Estados Unidos e marcou um importante avanço na representatividade de personagens LGBTs para o público jovem.

Last Summer

No elenco, Mika Abdalla (Kate) e Chiara Aurelia (Jeanette). Jessica Biel é a produtora executiva do projeto

Um suspense pouco convencional. Assim pode ser descrita “Last Summer”, outra série jovem encomendada pelo Freeform. Ambientada em três verões (de 1993 a 1995) numa pequena cidade do Texas, a atração conta a história de duas garotas aparentemente sem relação uma com a outra. Kate (Mika Abdalla) é uma garota popular que acaba sendo raptada sem deixar rastros. Enquanto Jeanette (Chiara Aurelia), conhecida por ser tímida, passa a agir de maneira diferente, cativando os olhares e a atenção das pessoas. Sua transformação é tão grande que em 1995 ela torna-se a pessoa mais odiada do país. Cada episódio é contado pela perspectiva de uma das garotas. O projeto, que conta a produção executiva da atriz Jessica Biel, ainda está em fase de desenvolvimento e não tem data para estrear.

None of the Above

Kenny Smith Jr, roteirista e produtor executivo da série, responsável por sucessos como Black-ish

Dois amigos de faculdade sentem a pressão de não atenderem às expectativas impostas pela sociedade. Esse é o enredo de “None of the Above”, outro projeto confirmado para ser exibido pelo Freeform. Cannon é um garoto negro que adora música indie-folk e filmes estrangeiros, assim como ama hip-hop. Valencia é um cristão fervoroso que apoia o sexo antes do casamento, fala palavrões e ainda fuma maconha. O programa pretende abordar temas como raça, identidade e políticas de educação sexual e é escrito e produzido por Kenny Smith Jr (Black-ish). Ainda não há data para estreia.   

3. Hulu

Spin-off para TV do filme “Com Amor, Simon”, a série do Hulu “Love, Victor” se passa no mesmo universo do longa-metragem de 2018. Victor (Michael Cimino) é um aluno novo na Creekwood High School que está passando por dificuldades com sua orientação sexual. Ao tentar um emprego como atendente em uma cafeteria, Victor fica encantado com Benji (George Sear), o assistente que cuida da loja. Victor contará com a ajuda de Simon (Nick Robinson) para se adaptar à nova realidade.

Originalmente pensada para o Disney+, a série foi migrada para o Hulu. A imprensa especializada especula preocupações da corporação com a receptividade do conteúdo em uma plataforma tida “familiar”, algo que foi visto como homofobia por alguns grupos.

Normal People

Baseado no livro de Sally Rooney, “Normal People” acompanha Marianne (Daisy Edgar-Jones) e Connell (Paul Mescal) ao longo de vários anos, ambos de uma pequena cidade da Irlanda, mas com histórias de vida bastante diferentes. Os dois embarcam em um romance que engata e desengata em vários momentos, da escola até a faculdade, testando o poder do relacionamento deles enquanto exploram distintas versões de si próprios. Os episódios são exibidos no Reino Unido pela BBC Three e foram disponibilizados em território americano pelo Hulu.  

Dollface

Ela tinha um relacionamento duradouro e aparentemente feliz. Mas tudo desabou quando ele disse “chega”. Jules Wiley (Kat Dennings) é uma web designer que, após sofrer com o término do namoro, precisa lidar com outro dilema. Durante anos, ela esteve ausente com suas amigas e acabou se desligando de suas verdadeiras parceiras de vida. Em uma jornada pessoal, Jules precisa se reconectar com o mundo das mulheres e recuperar as amizades que um dia abandonou.

4. HBO Max

Gossip Girl (spin-off)

Atriz novata, Savannah Smith está confirmada no elenco. Nova versão que promete maior diversidade

O spin-off da badalada “Gossip Girl” é um dos muitos atrativos da nova plataforma de streaming do grupo WarnerMedia. Após oito anos da série original, o revival acompanhará uma nova geração de jovens da elite de Nova York. Kristen Bell está com o retorno confirmado para o papel da “garota do blog”, narrando os acontecimentos do cotidiano dos personagens.

A ideia é aproveitar o intervalo de tempo entre os produtos para mostrar como as redes sociais e o visual da cidade novaiorquina mudaram ao longo dos anos. Outras diferenças em relação ao original são que a nova versão promete tratar de assuntos mais “adultos” e reunir personagens não brancos e LGBTs. A atriz novata Savannah Smith foi confirmada no projeto e está cotada para o papel de protagonista. Como um dos produtores mencionou, o revival será parte de um universo compartilhado criado pela “Gossip Girl” dos anos 2000. 

Ainda não foi anunciada a data de estreia da série. A HBO Max será lançada nos Estados Unidos no dia 27/05.

More Happy Than Not (título provisório)

Capa do livro “More Happy Than Not” (Lembra Aquela Vez) e imagem do autor americano Adam Silvera

Baseado no livro “More Happy Than Not” (“Lembra Aquela Vez”, na versão em português), grande sucesso de Adam Silvera, a HBO Max anunciou o projeto de tornar o bestseller em série para sua plataforma. Ainda em desenvolvimento, a sinopse abaixo conta a história do livro, que pode sofrer alterações até o seu lançamento oficial.  

Em um escaldante e perigoso verão no Bronx, Aaron Soto é um jovem de 16 anos que vem sofrendo para encontrar alegria desde o suicídio de seu pai. Com o suporte de sua mãe batalhadora e de sua namorada Genevieve, ele começa lentamente a se recuperar. Quando Genevieve precisa se ausentar por algumas semanas, Aaron passa a ficar cada vez mais tempo com um novo colega chamado Thomas.

Ao perceber que ele não consegue fingir seus sentimentos pelo rapaz, Aaron decide se submeter a um processo de alteração de memória, com o objetivo de torná-lo hétero, mesmo que isso signifique esquecer completamente sobre quem ele verdadeiramente é.

Ainda não há previsão para a estreia.


 

Read 322 times Last modified on Quarta, 06 Maio 2020 15:07