Viu Review - Tendências - O nicho da Animação que virou centro das atenções (parte I)
Receba nossas novidades em primeira mão!
Quarta, 13 Maio 2020 08:02

Tendências - O nicho da Animação que virou centro das atenções (parte I)

Escrito por
Rate this item
(0 votes)

Um dos setores mais afetados pela pandemia do COVID-19 foi a indústria do audiovisual. Com estúdios fechados durante o período de isolamento, novas maneiras de fazer conteúdo televisivo estão emergindo. Devido a enorme oportunidade de capitalização desta tendência, hoje vamos listar alguns projetos que estão movimentando canais e plataformas na direção da animação para adultos, confira:

Seja pelo impacto das limitações provocadas pela pandemia ou pela própria estratégia de diversificação da indústria, uma coisa é fato: a animação para adultos está cada vez maior e bem mais pulverizada por múltiplos canais e plataformas. De acordo com o artigo “Adult Animation Finally Breaking Free of its Comedy Shackles”, escrito por John Evershed, co-fundador da Mondo Media (empresa especializada em animação para jovens), a animação para adultos é a categoria dentro do segmento animação que mais tem espaço para crescer.

No texto, John lista cinco pontos-chave sobre o potencial de desenvolvimento da animação adulta no presente e futuro próximo: 1) o boom da animação para adultos vem sendo impulsionada por (não só) plataformas de streaming; 2) audiência jovem da TV paga está se distribuindo no streaming, YouTube e gaming, oferecendo terreno para animações explorarem spin-offs de games como produtos derivados; 3) a cena da animação está se expandindo para além da comédia; 4) produtos não cômicos tendem a ser mais facilmente comercializados globalmente, já que são menos culturalmente específicos; 5) o mercado tem carência de profissionais e isso pode promover a criação de novos hubs de desenvolvimento de animação adulta pelo mundo.

Para antecipar o término da sétima temporada de “The Blacklist”, por exemplo, a rede americana NBC anunciou que utilizará elementos de animação gráfica mesclados às cenas já gravadas para contextualizar o desfecho deste ciclo, já que originalmente haviam sido previstos 22 episódios e agora a série concluirá no episódio 19 (em exibição no dia 15/05).  

A iniciativa também foi abraçada por outra produção live action. O sitcom “One Day At A Time”, do canal pago Pop TV, realizará um episódio especial todo confeccionado em animação. Com as gravações da quarta temporada interrompidas por causa do coronavírus, a produtora executiva e showrunner Gloria Calderón Kellett propôs a ideia, que será desenvolvida pela Sony Pictures TV. O especial terá a eleição como o principal assunto e não será conectado com os acontecimentos da série tradicional.  

Vejamos agora outros projetos produzidos ou em produção, divididos por plataforma, que merecem nossa atenção:

Netflix

1. The Midnight Gospel (estreou em 20 de abril) 

Do criador Pendleton Ward ("Hora de Aventura") surge um título interessante da já bem servida prateleira de animação adulta da Netflix. A história gira em torno de Clancy Gilroy, apresentador de um podcast do espaço chamado “The Midnight Gospel”. Nele, o protagonista entrevista diversos seres que habitam aquela realidade que está prestes a ser destruída. Os temas das conversas são bem variados e densos, de espiritualidade a drogas e meditação. A ideia do podcast veio do comediante Duncan Trussell, que apresenta o programa de áudio “Family Hour” e dubla o personagem Clancy na série.

2. Q-Force

Time de criadores: Gabe Liedman, Sean Hayes, Mike Schur

Uma comédia de meia hora com um time de espiões gay. Essa é a proposta de “Q-Force”, projeto de Sean Hayes (Will & Grace), Todd Milliner (Grimm), Mike Schur (The Good Place e Brooklyn Nine-Nine), Gabe Liedman (Brooklyn Nine-Nine e PEN15) e Universal TV. Escrito por Liedman, a história é sobre um belo agente secreto e seu time de super espiões LGBTQ. Constantemente subestimados por seus colegas, os membros da Q-Force precisam provar seu valor de tempos em tempos e embarcam em uma jornada extraordinária de aventuras profissionais e pessoais.

3. The Liberator

Primeiro projeto produzido em Trioscope, uma nova tecnologia de animação híbrida que combina CGI (Computer-Generated Imagery) de última geração com performances live action, “The Liberator” promete trazer uma riqueza de detalhes que se apoiam na emoção humana e na dramaticidade da história. Criada e escrita por Jeb Stuart, a série é baseada no livro “The Liberator: One World War II Soldier’s 500-Day Odyssey”, de Alex Kershaw, e conta a sangrenta e real marcha para a vitória da Segunda Guerra Mundial. No campo de batalha, o oficial do exército americano Felix Sparks e sua unidade de infantaria lutam por 500 dias para libertar a Europa.

4. Mulligan

Tina Fey e Robert Carlock

Fruto das mentes brilhantes de Tina Fey e Robert Carlock, parceiros em “30 Rock” e “The Unbreakable Kimmy Schmidt”, “Mulligan” foca no que sobrou da humanidade após a Terra ter sido invadida por alienígenas. Aqueles que sobreviveram acreditam que essa é uma segunda chance de fazer as coisas da maneira correta, mas eles não sabem o básico sobre como tomar conta de si próprios.

5. Inside Job

Shion Takeuchi

Primeira mulher a assinar um contrato extenso de desenvolvimento focado em animação com a Netflix, Shion Takeuchi já tem seu primeiro projeto anunciado na plataforma. Parte do time que produziu “Gravity Falls: Um Verão de Mistérios” e “(Des)encanto”, Shion prepara em “Inside Job” uma comédia de escritório ambientada em um governo obscuro, onde qualquer teoria da conspiração é verdadeira e uma mulher tenta manter o caos sob controle.   

Amazon Prime Video

Undone (estreou em setembro de 2019)

Criado por Raphael Bob-Waksberg e Kate Purdy (ambos de BoJack Horseman), “Undone” é uma dramédia que inaugurou a prateleira de séries originais de animação do serviço Amazon Prime Video. Publicada em setembro de 2019, a história explora a natureza elástica da realidade por meio da protagonista Alma. Após quase morrer em um acidente de carro, ela descobre que possui uma nova relação com o tempo e usa essa habilidade para encontrar a verdade sobre a morte de seu pai.

“Undone” utiliza uma técnica de animação chamada rotoscopia, onde a ação é filmada em live action e o desenho é feito com base nessa captura. A atriz que interpreta Alma é Rosa Salazar, conhecida pelo papel-título no filme “Alita: Anjo de Combate”.  Em novembro de 2019, a segunda temporada da série foi confirmada pela Amazon. 

Apple TV+

Central Park (estreia em 29 de maio)

Essa dica é boa para quem gosta de musical. Desenvolvido por Loren Bouchard, vencedor do Emmy pela animação “Bob’s Burgers”, a série acompanha Owen Tillerman e sua família vivendo uma vida pouco convencional no parque mais badalado de Nova York, o Central Park. Mas as coisas complicam quando uma ricaça herdeira de um hotel resolve transformar a área verde em mega condomínios. Kristen Bell e Stanley Tucci fazem parte do elenco, que promete muita dança e música em meio a tretas e conspirações.

HBO Max

1. The Prince

Criado por Gary Janetti (Family Guy), a série é um retrato satírico da família real britânica pelos olhos do jovem príncipe George, primogênito de William e Kate. Inicialmente, o personagem principal surgiu no Instagram, por meio de Gary. Agora, ganhará a visibilidade da plataforma de streaming no formato de desenho animado. Janetti vai dublar George, enquanto Orlando Bloom será o príncipe Harry. A animação tem previsão para estrear em 2020.

2. The Boondocks

Os Freemans são uma família negra que vai morar em um subúrbio fictício, amigável e majoritariamente branco em Woodcrest. Lá, eles terão que lutar contra o regime do Tio Ruckus, que comanda o governo local. A mistura de culturas, estilos de vida, classes sociais, estereótipos, pontos de vista e identidades raciais oferece boa parte do conteúdo satírico e cômico da série.

O programa é baseado em uma tirinha de mesmo nome, criada pelo cartunista Aaron McGruder, que inspirou em 2005 sua primeira adaptação para a TV. Tanto agora como em 2005, Aaron é o responsável pelo processo de desenvolvimento da versão televisiva. A previsão de estreia é para o segundo semestre de 2020.

3. Santa Inc.

Seth Rogen e Sarah Silverman

Candy Smalls é a duende mais importante do Polo Norte. Quando o sucessor do Papai Noel é desfalcado pela Amazon na véspera do Natal, Candy embarca em seu sonho da vida – se tornar a primeira Mamãe Noel na história do Natal. A série criada por Alexandre Rushfield oferece um olhar diferente para uma temática tão conhecida ao incluir assuntos de cunho feminista e alguns comentários pesados e palavrões. Sarah Silverman e Seth Rogen estão escalados para interpretar respectivamente Candy e Papai Noel. A estreia está prevista ainda para 2020.   

Semana que vem vamos falar sobre os projetos de animação para adultos que a Quibi, Fox, Hulu, Adult Swim, Showtime e CBS All Access estão preparando! Até lá!

Read 218 times Last modified on Quarta, 13 Maio 2020 14:19