Viu Review - Formatos - "Drag Queens", muito além de RuPaul's
Receba nossas novidades em primeira mão!

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 7

Quarta, 10 Julho 2019 10:20

Formatos - "Drag Queens", muito além de RuPaul's

Escrito por
Rate this item
(0 votes)

Junho foi mês do Orgulho LGBTQ e a representatividade continua em alta. A TV mundial demorou um pouco, mas atentou para o potencial deste público, que é extremamente fiel quando gosta de um Formato. E são diversos deles. Em especial com "Drag Queens" e muito talento. Quer conhecer alguns deles? Só continuar lendo:

 RuPaul's Drag Race  

 RuPaul Charles conheceu o estrelato nos anos 90, na era das supermodelos Naomi Campbell, Linda Evangelista e Claudia Schiffer, vestido como a drag RuPaul. Mas foi apenas em 2009 que o Logo Channel, especializado em programação LGBTQ nos EUA, decidiu apostar num reality de competição entre drag queens. A busca pela nova drag superstar exigiu uma combinação de talentos exploradas em reality shows antecessores, como beleza (America's Next Top Model), costura (Project Runway) e carisma/canto (American Idol). 

A mistura inusitada funcionou, dando origem a um fenômeno de 11 temporadas, 4 temporadas de All Stars, dois spin offs (o makeover 'RuPaul Drags U' e o talk show 'Untucked'), diversos programas para o YouTube e até mesmo uma convenção anual, a DragCon. E a ambição de Mamma Ru parece não ter limites depois de alguns Emmys abocanhados. O Formato já foi adaptado em dois países (Chile e Tailândia) e volta e meia surge um boato de uma possível adaptação no Brasil.
 
Onde assistir: Netflix
 
 
RuPaul's Drag Race Thailand
 
 
Segue a mesma fórmula do original, mas as performances na passarela são ainda mais ousadas, com drags até pegando fogo (literalmente).
 
Onde assistir: YouTube.
 
The Switch Drag Race (Chile)
 
 
Também segue a fórmula original, mas nessa versão, a apresentadora é uma mulher e já está na segunda temporada.
 
Onde assistir: O primeiro episódio está no YouTube.
 
 
House of Drag
 
 
Mais uma competição entre drags, mas desta vez elas tem que viver juntas sob o mesmo teto e competir em desafios diários. O vencedor da semana escolhe os dois piores colocados e as apresentadoras Kita e Anita decidem qual diva deixará a casa.
 
Onde assistir: Não disponível no Brasil. O formato estreou no TVNZ da Nova Zelândia.
 
 
Drag SOS
 
 
Road trip e transformação. Lembra 'Priscila, a Rainha do Deserto'? Um pouco. Em SOS o Family Gorgeous, um coletivo drag do Reino Unido, embarca em sua primeira viagem cheia de glamour. O objetivo é ajudar britânicas comuns a viajarem em uma jornada de autodescoberta à medida que se transformam em versões maiores, melhores e aprimoradas de si mesmas. Fundado pelas drag queens Cheddar Gorgeous e Anna Phylactic, o grupo vive em Manchester, onde recebe os convidados no Cha Cha Boudoir. Lá, eles convidam os visitantes para o Laboratório Drag onde ensinam a liberar sua diva interior - como se vestir, maquilhar e habitar seu alter ego, antes de apresentar um show de dublagem para uma plateia de familiares e amigos.
 
Onde assistir: Não disponível no Brasil. O Formato estreou este mês no Channel 4 do Reino Unido.
 
  
Dragula
 
 
A versão da competição voltada para drags do universo do terror. O nicho do nicho é apresentado por uma dupla, os Boulet Brothers, e, diferente da irmã mais popular, eles estão em busca da próxima Drag Supermonster. Estreou, é claro, no Halloween de 2016
 
Onde assistir: YouTube 
 
La Más Draga
 
 
Outra competição em busca da melhor drag queen, desta vez mexicana. Em cada episódio, os candidatos são desafiados em provas de criatividade, palco, apresentação e senso de glamour. O desempenho é avaliado pelo júri, que indica o vencedor do dia e as duas piores apresentações. Os dois candidatos indicados partem para um duelo de dublagem e o pior intérprete é eliminado. Sim, qualquer semelhança é mera coincidência. O programa não é uma adaptação de Drag Race, embora possua praticamente todos os elementos do original.
 
Onde assistir: No canal exclusivo do Formato no YouTube.
 
 
 E no Brasil? Também temos.
 
Glitter: Em Busca de um Sonho
 
 
Em 2012 a TV Diário, filial da TV Globo em Fortaleza, exibiu como quadro no programa de variedades "Enio Carlos" a competição entre drags nordestinas e um gogo boy. Sem grandes pretensões, o quadro viralizou na internet, gerando memes com as falas das personagens. O sucesso inesperado gerou uma segunda temporada e abriu caminhos para os demais reality shows sobre esse universo no Brasil.
 
Onde assistir: YouTube 
 
Academia de Drags


Alguns consideram a versão "baixo orçamento" do programa norte-americano, mas vale pelas piadas da apresentadora Silvety Montilla, uma das drags mais experientes do país. Tem duas temporadas e ajudou muita gente a descobrir divas como Rita Von Hunty.

Onde assistir: No canal exclusivo do Formato no YouTube.
 
  
Drag me as a Queen - Uma Diva Dentro de Mim
 
 
Reality de makeover com as drags nacionais Rita Von Hunty, Ikaro Kadoshi e Penelope Jean. Em cada episódio, o trio ajuda uma mulher a recuperar sua auto-estima, liberando sua diva interior. Elas fazem o pacote completo (cabelo, maquiagem e roupas no estilo de travestis) e ensinam como se apresentar no palco. O Formato será exportado na América Latina e já tem uma versão com celebridades encomendada.
 
Onde assistir: Canal E!
 
O bom humor é comum entre todos esses Formatos. É uma forma de resistência de uma arte que surgiu no underground, saiu do armário, ganhou o mainstream e veio pra ficar.
Shantay, you stay ! E até o próximo post.
 
Read 643 times Last modified on Quarta, 10 Julho 2019 12:00