Viu Review -
Receba nossas novidades em primeira mão!

Reality shows e privacidade estão intimamente ligados, ou melhor, desligados. Para que um aconteça o outro tem que sumir. Se ausentar. Ou pelo menos ficar ali num canto, escondido das câmeras. Depois de vinte anos, nos acostumamos a ver na TV gente comum cozinhando, gente pelada, gente fazendo nada e até gente vendo TV, como a gente. Esse post é uma reflexão sobre o formato X a privacidade. Confira:

Sessões de terapia não costumam ser o foco dos reality shows de maior sucesso no mercado. Quando aparecem, em geral, é na forma de um ou dois participantes numa sessão com a terapeuta, com muita conversa, choro e, às vezes, algum aconselhamento. A catarse dá um ótimo material para edição, mas de forma moralmente duvidosa. Mas nem sempre é assim:

Formatos de competição de talentos são um dos gêneros mais conhecidos na indústria. Há de todo tipo e para todo gosto, dos mais tradicionais como culinária e dança, aos mais exóticos como poesia e aprendiz de Papai Noel. E todos eles têm um elemento em comum: participantes sob pressão para "acertar". Mas isso está mudando:

Junho foi mês do Orgulho LGBTQ e a representatividade continua em alta. A TV mundial demorou um pouco, mas atentou para o potencial deste público, que é extremamente fiel quando gosta de um Formato. E são diversos deles. Em especial com "Drag Queens" e muito talento. Quer conhecer alguns deles? Só continuar lendo:

Esta semana, tive a oportunidade de ter aulas de documentário com a fascinante Cristiana Grumbach, discípula do mestre Eduardo Coutinho. Influenciado pelo contato e pela experiência, decidi escolher um Formato documental singular para este post. Veja que curioso:

Se quiser conhecer um pouco mais sobre como e porque estes tipos de programas são criados, essa coluna (não sei se posso chamar isso de coluna, soa pretensioso), ou melhor, essa série de posts vai explorar o funcionamento do que eu chamo de Indústria de Formatos. Neste primeiro post, comento sobre como um elemento de um megaformato como 'The Voice' (no ar no Brasil pela TV Globo) influencia na criação de diversos formatos posteriores. Se ficou curioso, é só continuar.