Viu Review - Power
Power.jpg

Power

Diretor
Henry Joost, Ariel Schulman
Elenco
Jamie Foxx, Joseph Gordon-Levitt, Dominique Fishback
Ano
2020
País
EUA

Lançamentos Ação netflix ml-violencia ml-heroi ml-drogas ml-tecnologia ml-lcp ml-vu

Power

Inicialmente o que mais me chamou a atenção em "Power" (ou "Project Power", título original) foi o fato de se tratar de um projeto do diretores Henry Joost e Ariel Schulman, reponsáveis pelo ótimo "Nerve" e pela adaptação (do anunciado) "Megaman". Acontece que essa produção da Netflix, com um orçamento de 85 milhões de dólares, se apega tanto nas cenas de ação que acaba esquecendo de contar a história como deveria.

O filme acompanha um ex-militar, Art (Jamie Foxx) e um policial, Frank (Joseph Gordon-Levitt) que tentam descobrir quem está por trás do tráfico de uma nova droga que dá para seus usuários superpoderes aleatórios e com isso, claro, gerando uma série de problemas na cidade de New Orleans. Confira o trailer:

Embora não seja uma história muito original (basta lembrarmos do que assistimos em "The Boys"), "Power" tem alguns elementos bastante interessantes para um gênero de ação com grife - seu conceito visual e a montagem mais clipada, não são novidades, mas trazem uma certa elegância e uma dinâmica bacana para o filme, porém o roteiro não acompanha essa qualidade. Me deu a impressão de que quiseram criar algo tão complexo, que faltou tempo de tela para desenvolver todos os personagens - o fato de não sabermos exatamente quem é o vilão, é um ótimo exemplo dessa incoerência (mas falaremos mais sobre isso logo abaixo)

"Power" não é ruim, mas não vai agradar quem gosta de uma história melhor contada. Já para quem gosta de filmes ação, com uma levada mais de heróis, cheio de piadinhas ao estilo Marvel e com uma narrativa mais realista, parecida com a DC, vai se divertir. De fato o filme é uma boa "Sessão da Tarde" e só!

Assista Agora ou

Inicialmente o que mais me chamou a atenção em "Power" (ou "Project Power", título original) foi o fato de se tratar de um projeto do diretores Henry Joost e Ariel Schulman, reponsáveis pelo ótimo "Nerve" e pela adaptação (do anunciado) "Megaman". Acontece que essa produção da Netflix, com um orçamento de 85 milhões de dólares, se apega tanto nas cenas de ação que acaba esquecendo de contar a história como deveria.

O filme acompanha um ex-militar, Art (Jamie Foxx) e um policial, Frank (Joseph Gordon-Levitt) que tentam descobrir quem está por trás do tráfico de uma nova droga que dá para seus usuários superpoderes aleatórios e com isso, claro, gerando uma série de problemas na cidade de New Orleans. Confira o trailer:

Embora não seja uma história muito original (basta lembrarmos do que assistimos em "The Boys"), "Power" tem alguns elementos bastante interessantes para um gênero de ação com grife - seu conceito visual e a montagem mais clipada, não são novidades, mas trazem uma certa elegância e uma dinâmica bacana para o filme, porém o roteiro não acompanha essa qualidade. Me deu a impressão de que quiseram criar algo tão complexo, que faltou tempo de tela para desenvolver todos os personagens - o fato de não sabermos exatamente quem é o vilão, é um ótimo exemplo dessa incoerência (mas falaremos mais sobre isso logo abaixo)

"Power" não é ruim, mas não vai agradar quem gosta de uma história melhor contada. Já para quem gosta de filmes ação, com uma levada mais de heróis, cheio de piadinhas ao estilo Marvel e com uma narrativa mais realista, parecida com a DC, vai se divertir. De fato o filme é uma boa "Sessão da Tarde" e só!

Assista Agora ou