Viu Review - Our Boys
Our-Boys.jpg

Our Boys

Diretor
Tawfik Abu Wael, Joseph Cedar
Elenco
Shlomi Elkabetz, Johnny Arbid, Ruba Blal
Ano
2019
País
EUA

Drama HBO Max ml-real ml-religiao ml-investigação ml-terrorismo ml-politico ml-crime ml-hoc ml-pf

Our Boys

Uma obra-prima (que provavelmente você deixou passar)!

Mas antes de mais nada é preciso contextualizar que o assunto dessa minissérie é tão sensível que até seu título foi divulgado de forma diferente dependendo do local em que ela ficava disponível: em hebraico, a minissérie chama "The Boys" ("Os Garotos", muito antes da série da Prime Vídeo), por lembrar uma passagem bíblica e ser o termo pelo qual os três meninos judeus que foram sequestrados ficaram conhecidos. Já em árabe, é só "Boys" ("Garotos"), porque já fica embutido o impacto do jovem palestino que foi assassinado. E em inglês, ficou "Our Boys" ("Nossos Garotos"), para dar a ideia de que cada um desses meninos são, na verdade, como qualquer um de nós!

Baseado em uma história real, voltamos para junho de 2014, quando três adolescentes judeus foram sequestrados por militantes do Hamas. Uma comoção tomou conta de Israel, que se uniu em orações para que os jovens israelenses pudessem estar vivos. Infelizmente, algumas semanas depois, seus corpos foram encontrados - o que causou uma onda de revolta e indignação contra o povo árabe da região. Após o enterro dos três garotos, um jovem palestino é sequestrado e assassinado de forma brutal e é aí que a minissérie ganha muita força! Tendo como pano de fundo esse embate sobre culpados e inocentes, que elevou a tensão na região e resultou em uma guerra que praticamente destruiu a Faixa de Gaza, território palestino, localizado na Costa Oeste de Israel, um agente interno da divisão do terror do Shin Bet, Simon (Shlomi Elkabetz), começa investigar e a buscar os culpados pelo assassinato do jovem Muhammad. Confira o trailer:

   

Usando como base uma importante reportagem do jornal The New York Times, a HBO e a Keshet criaram uma dinâmica muito particular para tentar contar essa complexa e delicada história. Contrataram o produtor israelense Hagai Levi, vencedor do Globo de Ouro por "The Affair" e criador de "In Treatment" (Sessão de Terapia), para comandar duas frentes de desenvolvimento: uma com o cineasta palestino Tawfik Abu Wael que escreveu e dirigiu as partes da minissérie sobre o ponto de vista árabe e outra, com o nova-iorquino Joseph Cedar, judeu e criado em Israel, que cuidou da parte israelense da trama. O objetivo disso tudo: não favorecer nenhum dos lados e humanizar os conflitos políticos, bélicos e, claro, religiosos, que os fatos geraram.

Posso garantir que, já no primeiro episódio, fica claro que se trata de mais um produto premium da HBO - daqueles que já assistimos com pena de que em algum momento vai terminar. A minissérie de dez episódios de uma hora, é falada em árabe e hebraico, com atores completamente desconhecidos do público, com uma fotografia linda do Yaron Scharf e uma direção (ou duas, no caso) sensacional - que traz um conceito quase documental para as cenas, integrando ficção e realidade de uma forma muito orgânica e incrivelmente brutal. Sim, a minissérie tem uma verdade (e uma honestidade) que nos provoca inúmeras sensações (algumas bem desagradáveis, inclusive).

Embora a trama possa parecer um pouco complicada no inicio, aos poucos tudo vai se encaixando com a ajuda dos noticiários e imagens reais da época que funcionam como apoio histórico para o drama que vamos acompanhando durante a jornada. O fato é que essa dinâmica de "Our Boys" nos coloca em um nível de tensão logo de cara - mais ou menos como no primeiro episódio de "The Night Of" (também da HBO). Repare na cena em que os meninos palestinos estão no bonde e você vai entender exatamente do que estou falando!

Olha, "Our Boys" é simplesmente imperdível - uma aula de cinema, tecnicamente e artisticamente - tanto que a minissérie ganhou todos os prêmios do "Awards of the Israeli Television Academy" em 2019. Vale muito a pena o seu play!

Assista Agora

Uma obra-prima (que provavelmente você deixou passar)!

Mas antes de mais nada é preciso contextualizar que o assunto dessa minissérie é tão sensível que até seu título foi divulgado de forma diferente dependendo do local em que ela ficava disponível: em hebraico, a minissérie chama "The Boys" ("Os Garotos", muito antes da série da Prime Vídeo), por lembrar uma passagem bíblica e ser o termo pelo qual os três meninos judeus que foram sequestrados ficaram conhecidos. Já em árabe, é só "Boys" ("Garotos"), porque já fica embutido o impacto do jovem palestino que foi assassinado. E em inglês, ficou "Our Boys" ("Nossos Garotos"), para dar a ideia de que cada um desses meninos são, na verdade, como qualquer um de nós!

Baseado em uma história real, voltamos para junho de 2014, quando três adolescentes judeus foram sequestrados por militantes do Hamas. Uma comoção tomou conta de Israel, que se uniu em orações para que os jovens israelenses pudessem estar vivos. Infelizmente, algumas semanas depois, seus corpos foram encontrados - o que causou uma onda de revolta e indignação contra o povo árabe da região. Após o enterro dos três garotos, um jovem palestino é sequestrado e assassinado de forma brutal e é aí que a minissérie ganha muita força! Tendo como pano de fundo esse embate sobre culpados e inocentes, que elevou a tensão na região e resultou em uma guerra que praticamente destruiu a Faixa de Gaza, território palestino, localizado na Costa Oeste de Israel, um agente interno da divisão do terror do Shin Bet, Simon (Shlomi Elkabetz), começa investigar e a buscar os culpados pelo assassinato do jovem Muhammad. Confira o trailer:

   

Usando como base uma importante reportagem do jornal The New York Times, a HBO e a Keshet criaram uma dinâmica muito particular para tentar contar essa complexa e delicada história. Contrataram o produtor israelense Hagai Levi, vencedor do Globo de Ouro por "The Affair" e criador de "In Treatment" (Sessão de Terapia), para comandar duas frentes de desenvolvimento: uma com o cineasta palestino Tawfik Abu Wael que escreveu e dirigiu as partes da minissérie sobre o ponto de vista árabe e outra, com o nova-iorquino Joseph Cedar, judeu e criado em Israel, que cuidou da parte israelense da trama. O objetivo disso tudo: não favorecer nenhum dos lados e humanizar os conflitos políticos, bélicos e, claro, religiosos, que os fatos geraram.

Posso garantir que, já no primeiro episódio, fica claro que se trata de mais um produto premium da HBO - daqueles que já assistimos com pena de que em algum momento vai terminar. A minissérie de dez episódios de uma hora, é falada em árabe e hebraico, com atores completamente desconhecidos do público, com uma fotografia linda do Yaron Scharf e uma direção (ou duas, no caso) sensacional - que traz um conceito quase documental para as cenas, integrando ficção e realidade de uma forma muito orgânica e incrivelmente brutal. Sim, a minissérie tem uma verdade (e uma honestidade) que nos provoca inúmeras sensações (algumas bem desagradáveis, inclusive).

Embora a trama possa parecer um pouco complicada no inicio, aos poucos tudo vai se encaixando com a ajuda dos noticiários e imagens reais da época que funcionam como apoio histórico para o drama que vamos acompanhando durante a jornada. O fato é que essa dinâmica de "Our Boys" nos coloca em um nível de tensão logo de cara - mais ou menos como no primeiro episódio de "The Night Of" (também da HBO). Repare na cena em que os meninos palestinos estão no bonde e você vai entender exatamente do que estou falando!

Olha, "Our Boys" é simplesmente imperdível - uma aula de cinema, tecnicamente e artisticamente - tanto que a minissérie ganhou todos os prêmios do "Awards of the Israeli Television Academy" em 2019. Vale muito a pena o seu play!

Assista Agora

Você também demora para encontrar o que quer assistir?

Cadastre-se na Viu Review e tenha sempre a sugestão ideal para o seu gosto!

Cookies: a gente guarda estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação, ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.